A Guarda Nacional Republicana (GNR) apreendeu 1.334 armas de fogo no primeiro semestre deste ano, representando um aumento de 49% em relação a igual período de 2012, segundo dados fornecidos pela corporação à agência Lusa.

De acordo com a GNR, nos primeiros seis meses deste ano foram apreendidas 1.334 armas, mais 441 do que em igual período do ano anterior, quando foram apreendidas 893.

A GNR adianta que a maioria das armas apreendidas foram caçadeiras e que os distritos onde se apreenderam mais armas foram os de Aveiro, Faro e Lisboa, enquanto em 2012 foram os de Santarém, Vila Real e Aveiro.

No que respeita à área da PSP, esta força de segurança apreendeu 714 armas de fogo até setembro deste ano, das quais 230 pistolas, 63 revólveres, 183 caçadeiras e 238 espingardas.

Segundo dados fornecidos pelo departamento de armas e explosivos desta polícia, até setembro último foram entregues/recuperadas 1.049 armas de fogo, sendo a maioria espingardas (391).

A PSP registou este ano 115 crimes de furto de arma de fogo, cifrando-se em perto de 2.200 o total deste tipo de crimes desde 2006.

Em 2012 ¿ segundo dados do Relatório Anual de Segurança Interna (RASI) ¿ a PSP apreendeu 3.234 armas de fogo.

Este ano, o Departamento de Armas e Explosivos da PSP já destruiu mais de 14 mil armas, depois de serem «declaradas como perdidas em favor do Estado em processos-crime, ou em processos de contraordenação ou de entregas voluntárias de cidadãos que já não pretendem ter as armas com eles».