As buscas ao pescador lúdico que se encontra desaparecido desde domingo nos mares da Madeira foram hoje infrutíferas apesar de terem incidido em 10 milhas para sul da Ponta de São Lourenço e 10 milhas para oeste do Funchal.

«As buscas foram infrutíferas, estivemos nas proximidades do acidente onde voltámos no final da tarde e fomos mais para sul e para oeste em cerca de 10 milhas para cada lado», disse à agência Lusa o comandante da Capitania do Porto do Funchal, Félix Marques.

As buscas foram interrompidas pelas 19:00 devido «à fraca visibilidade» e serão retomadas às 08:00 de terça-feira «outra vez no local onde ocorreu o acidente e mais ainda para sul», revelou Félix Marques.

No mar, as buscas foram feitas com recurso a uma mota de água e uma embarcação salva-vidas da Capitania do Porto do Funchal, o patrulha oceânico «Viana do Castelo» e uma embarcação salva-vidas do SANAS - Associação Madeirense de Socorro a Náufragos foram os meios envolvidos nas operações de busca.

A Policia Marítima, por terra, vigiou a rebentação das ondas junto à costa.

O pescador desapareceu na sequência do naufrágio da embarcação em que pescava, ocorrido no domingo cerca das 08:30, na zona do Boqueirão, na Ponta de São Lourenço, na ilha da Madeira.

Segundo o comandante da Capitania do Porto do Funchal, este pescador era um dos três ocupantes da embarcação de recreio «Marés Vivas», que naufragou a poucos metros da costa.

De acordo com Félix Marques, os outros dois ocupantes (filho e proprietário da embarcação) conseguiram nadar até terra.

As causas do naufrágio da embarcação registada na Vila do Porto, Santa Maria, Açores, ainda são desconhecidas.

O pescador desaparecido tem cerca de 60 anos e é natural do Caniçal.