O Serviço Regional de Proteção Civil da Madeira está a coordenar uma operação de busca para encontrar um casal alemão dado como desaparecido desde a tarde de terça-feira, depois de um percurso pedonal.

O responsável da Proteção Civil da Madeira, Luis Néri, adiantou à Lusa que o alerta foi dado por um taxista que «tinha combinado ir recolher o casal de turistas pelas 18:00», depois de terminarem o percurso na serra na zona entre a Encumeada e o Folhadal, atravessando os concelhos de S. Vicente e Ribeira Brava.

«A situação ocorreu ontem [terça-feira] ao final do dia e ao princípio da noite estiveram a tentar encontrar o casal elementos dos bombeiros da Ribeira Brava, São Vicente, Guarda Florestal, GNR e PSP, mas não encontraram nada, nenhum indício», acrescentou.

O responsável adiantou que a operação de busca foi retomada logo pela manhã e «já foi acionado o meio aéreo para fazer o reconhecimento».

Por seu turno, o responsável da corporação de bombeiros de S. Vicente, Artur Fernandes, referiu à Lusa que «as duas pessoas têm entre os 25 e os 30 anos, e estão acostumadas a fazer caminhadas».

«Estamos a efetuar novamente o percurso, mas não sabemos qual a direção que tomaram. Por isso, foram acionados os meios aéreos para alargar o perímetro das buscas», informou.

O comandante dos Municipais de São Vicente e Porto Moniz mencionou que «no hotel não há registo que tenham regressado».

«As pessoas às vezes aventuram-se pensando que a Madeira é pequena, mas há muitos trilhos e acabam por se perder», realçou Artur Fernandes, apontando que o percurso que está a ser batido pelas equipas se faz «entre duas horas e duas horas e meia, no máximo».

Buscas suspensas por falta de visibilidade

«Infelizmente até agora não tivemos êxito na operação que estávamos a desenvolver desde esta manhã», informou o responsável da Proteção Civil regional, Luís Néri, pouco antes das 18:00.

O responsável sublinhou que, «como até agora não houve sucesso», decidiram «interromper ao início da noite as buscas», para recomeçar na quinta-feira de manhã «com as mesmas valências».

Segundo as autoridades, o casal alemão deveria ter sido recolhido por um taxista que tinha combinado ir buscá-lo pelas 18:00 de terça-feira, depois de terminarem o percurso na serra na zona entre a Encumeada e o Folhadal, atravessando os concelhos de S. Vicente e Ribeira Brava.

«As informações são reduzidas relativamente ao local onde possam ter caminhado, de modo que o que se resolveu foi fazer buscas em várias áreas», indicou Luís Néri.

Durante o dia foi utilizado um meio aéreo, mas também esta tentativa se revelou sem êxito, dada «a existência de um teto de nuvens que impossibilitou o seu uso», afirmou.

Para quinta-feira está previsto o uso de um helicóptero, desde que as condições meteorológicas assim o permitam.