A Polícia de Segurança Pública (PSP) deteve na sexta-feira um homem por suspeita de burla em pelo menos cinco casos de compra de veículos de alta cilindrada em todo o país, revelou fonte policial.

Em declarações à Lusa, a mesma fonte adiantou que a detenção ocorreu na sexta-feira, pelas 21:00, na sequência de uma denúncia.

«Houve uma pessoa que se apercebeu de alguma coisa estranha, ligou para nós, fomos logo ao local e detivemos o indivíduo, que é um homem branco, reformado, com 68 anos», revelou a PSP.


De acordo com a fonte policial, trata-se de uma detenção de «bastante relevo», uma vez que já desde janeiro a PSP vinha-se a aperceber de situações semelhantes em todo o país.

«Contactam as pessoas que metem as viaturas à venda em classificados, seja internet ou jornais, carros normalmente de alta cilindrada, para cima dos 12 mil e 15 mil euros», explicou.


A fonte policial explicou que o contacto é feito por uma pessoa, mas quem aparece para efetivar a compra é outra, que diz estar a representar a primeira e que paga com cheques em nome dessa.

«Adquirem a viatura e o cheque ou é falsificado ou não tem provisão ou é furtado ou até já houve situações em que a pessoa vai ao multibanco, vê lá a transferência, mas no dia seguinte a mesma é resgatada e o dinheiro já lá não está», adiantou.


A PSP continua a reunir prova em relação aos vários crimes, tendo já prova para cinco queixas distintas, apesar de suspeitar que o indivíduo possa estar relacionado com outras 15 ocorrências.

Em causa poderá estar igualmente crime de furto de identidade, já que a PSP desconfia não só que os cheques usados na transação fossem roubados, como também a identificação que o indivíduo apresentava para provar que comprava o carro em nome de terceira pessoa.

A PSP tem «forte convicção» de que este homem atuava com a ajuda de cúmplices e vão agora tentar identificar os outros elementos do grupo.

Por apurar está ainda o destino que o indivíduo dava aos carros, já que, segundo a PSP, o homem poderia vender para peças, para pôr matrículas falsas ou para mandar para fora do país.

O indivíduo agora detido vai ser hoje presente a tribunal para determinação de medida de coação.