O Comando Metropolitano de Lisboa (Cometlis) da PSP anunciou esta sexta-feira a detenção de um homem, de 29 anos, por burla qualificada, num negócio de compra de um imóvel, através de um esquema ilícito conhecido como «dólares/euros negros».

O detido contactou a vendedora do imóvel, que tinha colocado o bem à venda na internet por um milhão de euros, informando-a de que estava interessado na compra do prédio.

«Após vários contactos, o suspeito fez crer à vendedora que teria três milhões de euros para investir em vários negócios em Portugal, mas para que os mesmos fossem desbloqueados de uma conta bancária na Costa do Marfim, teriam de entrar em Portugal na forma de notas pretas, e que a lesada teria de proceder à entrega de 50.000 euros», explica o Cometlis.

Em comunicado enviado à Lusa, o Cometlis refere que o homem, com o objetivo de criar na vítima a convicção da veracidade da operação, demonstrou à mulher a transformação de uma nota de 50 euros em papel preto e vice-versa, com recurso a vários reagentes químicos.

Após o acordo final para a troca de dinheiro, o suspeito foi detido em flagrante delito, na posse de uma mala com um x-ato, um rolo de papel de alumínio, dois recipientes com produtos químicos, 385 euros em dinheiro e quatro pacotes (maços) embrulhados com fita adesiva, contendo várias folhas de cartolina com as dimensões das notas de 50,100, 200 e 500 euros.

Fonte policial adiantou à agência Lusa que foi a vendedora quem contactou a polícia, «por estranhar a situação», acrescentando que o detido é originário da Costa Rica.

A detenção ocorreu na tarde de quinta-feira na Avenida Duque Ávila, em Lisboa, e levada a cabo pela Divisão de Investigação Criminal da PSP.

O Cometlis refere que o homem se apresentou com um documento de identificação falso.

No decurso da investigação, a polícia apurou a verdadeira identidade do suspeito, o qual já estava referenciado na Região Autónoma da Madeira “por crimes desta natureza e com as medidas de coação de apresentações diárias e de proibição de sair desse arquipélago, medidas essas que não estava a cumprir”, salienta o comunicado.

A polícia frisa que, após pesquisas efetuadas na internet, «se verifica que nos últimos tempos este tipo de crime, conhecido pelos dólares/euros negros, tem ocorrido em vários países, tendo vários empresários sido vítimas em prejuízos que envolvem milhões de euros».

O detido vai ser presente ao Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa para primeiro interrogatório judicial e aplicação das medidas de coação.