A PJ deteve um homem pela prática de crimes de contrafação de cartões de crédito, burla informática agravada e falsidade informática, que lhe permitiram movimentar ilicitamente 140 mil euros.

Segundo a Polícia Judiciária (PJ), o homem tem 31 anos e foi detido em flagrante delito, tendo pelos mesmos crimes sido constituídos arguidos outras duas pessoas.

A detenção, relata a PJ, o correu na sequência de buscas domiciliárias, consistindo o ‘modus operandi’ na contrafação de dados de cartões bancários (crédito e débito), os quais eram posteriormente utilizados para efetuar levantamentos em caixas ATM e pagamentos em estabelecimentos comerciais, incluindo um restaurante e uma clínica geridos por elementos do grupo.

«Até ao momento, foi possível apurar que esta atividade delituosa permitiu a realização de movimentos ilícitos num valor aproximado de 140 mil euros, tendo a PJ apreendido cartões com banda magnética contrafeitos, bem como diverso material informático», refere uma nota da Unidade Nacional de Combate à Corrupção (UNCT) da PJ.

O detido vai ser submetido a primeiro interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação.

A investigação da PJ prossegue, estimando os investigadores que o montante global desta fraude «seja bastante superior».