Uma empresária brasileira foi encontrada morta em casa, este domingo, num dos condomínios mais luxuosos de Cascais. Fonte da Polícia Judiciária confirma tratar-se de um caso de homicídio.
 
O suspeito é o marido da vítima, Anders Larsson, 58 anos, um cidadão sueco que horas depois pôs fim à própria vida.

Foi aliás o suicídio de Larsson, que por volta da uma da tarde se atirou de um penhasco no Cabo da Roca, que levou a polícia à residência do casal na luxuosa Quinta Patino, em Cascais.

Testemunhas do suicídio de Larsson alertaram as autoridades, que recuperam o corpo e o identificaram. Quando se dirigiram à casa do sueco para informar os familiares do sucedido, encontraram a mulher caída no chão da moradia.
Maria Estela Larsson, 60 anos, empresária de sucesso no ramo imobiliário, estaria morta há várias horas. Apresentava ligeiras marcas no pescoço que indiciavam uma morte por estrangulamento.
 
As autoridades admitiram estar perante mais um caso de homicídio conjugal seguido de suicídio.
 

"Nós quando chegamos ao local fomos abordados imediatamente pela GNR com o intuito de tentarmos movimentar o mínimo de coisas dentro do quarto onde se encontrava a vítima, porque podia haver indício de crime que seria [posteriormente] investigado", disse fonte dos bombeiros de Alcabideche.

 
Os primeiros exames à vítima confirmaram um cenário de morte por estrangulamento e o relatório da autópsia vai ser entregue ao Ministério Público de cascais para que possa concluir o inquérito.