O Tribunal Judicial de Braga aplicou hoje 14 meses de prisão, com pena suspensa, a um homem acusado de extorsão e sequestro a um professor universitário, depois de atrair a vítima para um falso encontro «gay».

Os factos remontam à madrugada de 8 de setembro de 2011, quando um professor universitário conduziu o seu automóvel até um local, na freguesia de Dume, concelho de Braga, frequentado por homossexuais para encontros ocasionais.

Quando lá chegou, o professor foi atraído por um sinal de luzes de outra viatura, que entendeu como um «convite».

Seguiu atrás dessa viatura, onde aparentemente seguia apenas um homem.

Algum tempo depois, pararam e o professor foi imediatamente «assaltado» pelo condutor da outra viatura, que lhe tirou as chaves da ignição e o obrigou a sentar-se no lugar do «pendura».

Na outra viatura, seguiam, escondidos na mala, mais dois homens.

Os três obrigaram o professor a ir com eles até uma caixa multibanco, onde levantou 400 euros, que lhes entregou.

Os indivíduos também se apoderaram das 15 a 20 libras inglesas que a vítima tinha no carro.

A julgamento compareceu apenas um dos três arguidos, que foi reconhecido pela vítima e que foi condenado.

O arguido garantiu não se lembrar dos factos, sublinhando que na altura estava «encharcado» de heroína e cocaína, mas mesmo assim admitiu a sua autoria, mostrando-se arrependido.

Outro arguido, que se encontra no estrangeiro, também foi julgado, mas acabou absolvido, por falta de provas.

O terceiro está em parte incerta e será julgado posteriormente.

Na altura dos factos, os três arguidos eram toxicodependentes.