O Tribunal Judicial de Braga condenou hoje a três anos e nove meses de prisão, com pena suspensa, um homem que 2014 alvejou outro, na sequência de um desentendimento relacionado com o negócio de um carro.

O arguido, de 36 anos, foi condenado pelos crimes de ofensa à integridade física qualificada e detenção de arma proibida.

Para a suspensão da pena, fica obrigado a pagar 1500 euros ao ofendido.

Os factos remontam a 24 de maio de 2014 e registaram-se em Santa Tecla, Braga,

O arguido terá efetuado seis disparos, atingindo a vítima numa coxa e deixando o carro da mesma cravejado de balas.

O Ministério Público acusou de um crime de homicídio, na forma tentada, mas o tribunal não deu como provada a intenção de matar, pelo que condenou o arguido por ofensa à integridade física qualificada.

Em julgamento, o arguido sempre negou a intenção de matar e alegou que apenas pegou na arma após “perceber” que a vítima, segurança de privados, iria “sacar” da arma que tinha consigo.

O negócio que espoletou o crime teve a ver com um carro que o arguido vendera ao ofendido.

O carro viria a ser apreendido, mais tarde, pela Polícia Judiciária, por ter sido furtado, e o ofendido terá confessado que o comprara ao arguido.

Este não gostou, marcou um encontro com a vítima e, após uma discussão, puxou de uma pistola de calibre e efetuou seis disparos.