Um bombeiro de Celorico de Basto foi atropelado por uma viatura da corporação durante o combate a um incêndio ocorrido na terça-feira. Está internado no hospital de Guimarães, com prognóstico reservado, mas não corre perigo de vida.

O comandante Marinho Gomes disse esta sexta-feira à Lusa que o seu bombeiro esteve sempre consciente, apesar de ter sofrido «ferimentos muito graves».

«Ele encontra-se em observações, mas está consciente. O médico disse-nos que só após 72 horas, que se cumprem hoje, é que nos poderá dar um prognóstico mais correto», acrescentou.

A vítima, de 29 anos, bombeiro há cerca de oito, foi colhida por uma das rodas de um autotanque, com cerca de 1.200 litros de água. Por razões desconhecidas, cerca das 23:00 de terça-feira, a viatura ter-se-á destravado quando se dava início ao combate de um incêndio na freguesia de Arnoia, no concelho de Celorico de Basto.

De acordo com Marinho Gomes, o veículo descaiu para trás quando estava parado num local com muito declive.

«Foi tudo muito rápido. A roda passou por cima do nosso bombeiro», contou, assinalando que outros colegas, que se encontravam no mesmo local, conseguiram fugir a tempo.

O bombeiro ferido sofreu fraturas na bacia e ancas, para além de três costelas partidas e perfuração no pulmão. «Foi uma aflição muito grande, até para o tirar do local do acidente», contou Marinho Gomes.

O comandante revelou que a viatura envolvida no acidente já foi mandada para a oficina para se fazer uma peritagem. «Queremos saber se terá havido algum problema com os travões», concluiu.