Dezenas de bombeiros de várias corporações combateram um incêndio que deflagrou cerca das 13:45 numa fábrica de confeções na localidade de Penacova, no concelho de Felgueiras, apurou a Lusa no local. Pelas 18:00, as chamas já estavam já controladas.

Segundo o que a TVI apurou no local, na origem do incêndio poderá estar um curto-circuito que terá causado «dois a três explosões», segundo relataram testemunhas à TVI. 

A fábrica localiza-se numa zona com habitações próximas, no centro da freguesia.

O incêndio destruiu dois teares e matéria-prima, mas a unidade fabril vai poder retomar a laboração na segunda-feira, anunciaram os bombeiros.

Hugo Ribeiro, segundo comandante da corporação de Felgueiras, explicou aos jornalistas que o alarme para o incêndio foi comunicado às 12:45, verificando os bombeiros que as chamas começaram num tear e alastraram a um segundo tear.

As operações de rescaldo vão manter-se durante mais algumas horas.

Pedro Ribeiro, diretor de produção da fábrica Docofil, em Penacova, Felgueiras, confirmou aos jornalistas que a empresa tem condições para trabalhar com todos os funcionários.

No combate ao fogo estiveram 60 bombeiros, das corporações de Felgueiras, Paços de Ferreira, Lousada, Freamunde e Lixa, apoiados por 21 viaturas, tendo um piquete da EDP sido também chamado ao local.

A fábrica dedica-se à produção de têxteis-lar e atoalhados e emprega 120 pessoas.

A Polícia Judiciária esteve no local.