A ministra da Administração Interna, Anabela Rodrigues, disse esta segunda-feira que o dispositivo de combate a incêndios florestais tem “respondido adequadamente” à situação que se viveu nos últimos três dias, tendo atuado com “o grau de exigência operacional pedido”.
 

“A resposta dos bombeiros e de todos os agentes de proteção civil foi extremamente positiva e foi uma reposta à altura do investimento, preparação e formação feita ao longo de todo o ano”, disse Anabela Rodrigues, numa conferência de imprensa realizada na Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).


A ministra, que hoje de manhã presidiu a uma reunião na ANPC, adiantou que “a resposta [ aos incêndios que deflagraram no fim de semana] foi adequada face às condições adversas que se têm sentido”.

Segundo a governante, registaram-se 1.386 incêndios florestais em agosto, numa média de 173 por dia e, entre sexta-feira e domingo, ocorreu o maior número de fogos deste ano, num total de 901.

Na sexta-feira deflagraram 224 fogos, no sábado 295 e no domingo 382, sendo 54 por cento destes nos distritos de Viana do Castelo, Braga e Porto.

A ministra realçou que “o crescimento da área ardida não tem correspondido proporcionalmente ao número de ignições”.

Para Anabela Rodrigues, “Portugal está a enfrentar condições meteorológicas muito severas e favoráveis aos incêndios florestais”, o que não acontecia há 15 anos.


A ministra salientou que o dispositivo montado foi preparado “tendo por base os anos mais difíceis” e tem “respondido positivamente a esta situação muito difícil”, não tendo sido pedida qualquer ajuda internacional e, caso seja necessária, será solicitada.

Sobre um possível agravamento da situação e reforço de meios, a ministra referiu que “o dispositivo está preparado para responder à eventualidade que venham a ocorrer”.

Também na conferência de imprensa, o comandante operacional nacional, José Manuel Moura, afirmou que, ao longo desta semana, haverá um desagravamento das condições meteorológicas, permitindo o reposicionamento do dispositivo mobilizado no domingo, nomeadamente o reforço de mais de 25 grupos de combate a incêndios.

O comandante nacional disse que o helicóptero de combate a incêndios florestais que no sábado teve um acidente vai ser substituido na terça-feira, acrescentando que o grande objetivo do comando nacional é a segurança das forças envolvidas.

Na conferência de imprensa, a ministra destacou ainda os dados da GNR, que este ano já deteve 48 pessoas pelo crime de incêndio florestal, mais nove do que em igual período de 2014.