Cinco pessoas, quatro delas bombeiros, sofreram queimaduras ligeiras em Casal do Rei, no concelho de Vila Nova da Barquinha, durante o incêndio que deflagrou cerca das 13:00 no concelho de Tomar, disse à Lusa fonte da proteção civil.

Filipe Regueira, comandante da sala de operações do Comando Distrital de Operações de Socorro de Santarém, disse à Lusa que há ainda um terceiro ferido ligeiro, outro bombeiro, vítima de doença súbita não relacionada com o incêndio.

À 01:02, todo o perímetro do incêndio, que abrange os concelhos de Abrantes, Constância, Tomar e Vila Nova da Barquinha, está em resolução, disse fonte da proteção civil.

Filipe Regueira, comandante da sala de operações do Comando Distrital de Operações de Socorro de Santarém, disse à Lusa que estão neste momento perto de 600 operacionais no terreno, apoiados por 180 viaturas e algumas máquinas de rasto, tendo os sete meios aéreos que ajudaram no combate regressado à base com o cair da noite.

O fogo, marcado por inúmeras projeções – algumas das quais entraram na vila de Constância, sem que se tenham registado incidentes -, levou a que dois civis fossem assistidos por situações de ansiedade e três bombeiros com ferimentos ligeiros ou por inalação de fumos ou por exaustão.

Uma viatura, de um “curioso”, ardeu na freguesia de Asseiceira, segundo fonte da proteção civil de Tomar.

A A13 e a A23 foram cortadas ao trânsito cerca das 18:00, a primeira entre o nó da Atalaia e o nó de Constância Sul, reaberta minutos depois, e a segunda no primeiro nó à saída da A23 no sentido Torres Novas/Tomar, reaberta por volta das 23:50 .

Filipe Regueira disse à Lusa que as corporações do distrito de Santarém estão a ser auxiliadas por reforços dos distritos de Lisboa (com dois grupos de combate), Setúbal e Évora (com grupos de reforço para ataque ampliado), Portalegre, Castelo Branco, Leiria, Aveiro e Coimbra.

O comandante de sala confirmou que arderam dois barracões agrícolas, havendo indicação de que o fogo poderá ter afetado “uma ou outra casa” sem que haja qualquer informação de que fossem habitadas.

Filipe Regueira afirmou que nenhuma povoação teve que ser evacuada, nem houve qualquer pedido para eventuais desalojados.

O incêndio que lavra no concelho de Tomar está a provocar nuvens de fumo que se estão a propagar por concelhos dos distritos de Portalegre e Évora, segundo fontes dos bombeiros.

Fontes dos comandos distritais de operações de socorro (CDOS) de Portalegre e Évora indicaram à Lusa que os serviços receberam telefonemas de várias pessoas, a questionar a proveniência dos fumos, dos concelhos de Portalegre e Marvão, no distrito de Portalegre, e Estremoz, Borba, Redondo e Arraiolos, no distrito de Évora, algumas localidades a mais de 200 quilómetros de distância do incêndio.

Em Estremoz, segundo um popular, cerca das 20:00, a cidade estava coberta por uma nuvem de fumo.