O Quartel dos Bombeiros Voluntários de Penedono, no norte do distrito de Viseu, vai ser alvo de obras de remodelação que vão rondar os 415 mil euros, disse esta quinta-feira fonte da direção da associação humanitária local.

De acordo com o vice-presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Concelho de Penedono, Albino Alberto, o quartel vai "sofrer obras de remodelação profunda", transformando o edifício num espaço "mais adequado à realidade dos dias de hoje".

"O atual quartel está completamente degradado no seu interior, em virtude dos invernos rigorosos que se fazem sentir em Penedono. É uma necessidade levar a cabo estas obras", alegou.

Em declarações à Lusa, Albino Alberto explicou que o edifício que alberga o quartel "vai manter o seu esqueleto", mas que "toda a área vai ser melhor aproveitada".

"Vamos ficar com um espaço mais moderno, funcional e confortável, que esperamos que seja também uma forma de cativar voluntariado", acrescentou.

O novo quartel dos bombeiros "vai passar a ter duas camaratas", uma para o corpo feminino, outra para o corpo masculino, dando assim "outro reaproveitamento ao espaço onde está hoje o salão de festas".

"Hoje em dia, já não precisamos de salão de festas, onde outrora tinham lugar os bailes. Como o nosso corpo de bombeiros tem algumas mulheres, era necessário prever uma camarata com todas as condições necessárias, substituindo as que tinham sido improvisadas numa arrecadação", referiu.

O vice-presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Concelho de Penedono sublinhou ainda que com o novo quartel esperam passar a poupar parte da verba que despendem mensalmente para o pagamento de eletricidade.

"Como este quartel tem um fraco isolamento, é muito frio e húmido no inverno, as contas de luz sobem sempre nestes meses de mil para 1.500 euros. Com o novo quartel, de certeza que essas despesas também vão diminuir e os bombeiros terão outro conforto", admitiu.

A obra "deve demorar cerca de um ano" a ser executada e vai ser "financiada por fundos comunitários".