O líder parlamentar do Bloco de Esquerda (BE), Pedro Filipe Soares, declarou esta terça-feira que os cortes noticiados nas bolsas de doutoramento e outras pós-graduações são como que «uma machadada na ciência e na inovação» de Portugal.

O deputado bloquista congratulou-se ainda com o facto de o requerimento apresentado em sede de comissão parlamentar ter merecido a viabilização por parte da maioria, já depois de ter ido ao encontro dos manifestantes, à porta da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT).

«Existiu um corte brutal nestas bolsas, de mais de 90 por cento. É uma machadada no panorama do ensino, na ciência e na inovação. Quem ataca a ciência e a inovação está a atacar o futuro do país. O Governo deve dar a cara e responder por estes cortes», disse, nos Passos Perdidos da Assembleia da República.

A FCT é a entidade que gere e atribui os referidos subsídios para a investigação científica em Portugal. Segundo dados daquela entidade, em 2013, foram atribuídas menos 900 bolsas de doutoramento e menos 444 bolsas de pós doutoramento do que em 2012, uma diminuição total de 1.344.

«Em breve teremos o presidente da FCT no parlamento para explicar a motivação destes cortes» e «como consegue compaginar estes cortes com a ideia da manutenção da ciência e da inovação no país», acrescentou.