O apelo, em jeito de convite, vem plasmado no Boletim Paroquial distribuído no fim da missa do último domingo aos paroquianos de Lousado. O pároco, que também é responsável pelo boletim informativo, pede, de forma clara e direta, ao euromilionário que faça um contributo para as obras da paróquia.

Será que o feliz sortudo vai ter um gesto de altruísmo em oferecer uma dádiva a esta paróquia de Lousado?”

E se pensa que o apelo poderá trazer alguma carga de ironia, as frases seguintes vêm mostrar que se trata de um pedido muito sério. “Podendo e devendo conservar o seu anonimato, poderá fazê-lo por transferência para a Fábrica da Igreja de Santa Marinha do Lousado”, escreve o padre, deixando mesmo o IBAN para o respetivo contributo.

A TVI tentou contactar o padre Eusébio Esteves Batista, que estava ausente da casa paroquial à altura do telefonema.

Fonte próxima do sacerdote, ouvida pela TVI, afiançou a veracidade do pedido e também das necessidades da paróquia: “Claro que não foi com nenhuma ironia. O senhor padre não se presta a isso até porque já tem uma idade muito respeitável!”

Foi uma maneira de dizer as coisas sem ofender ninguém. O senhor padre não pede para ele. A paróquia tem muitas necessidades”, assegurou a mesma fonte, em declarações telefónicas à TVI.

O pedido do padre parece não ter sido visto com bons olhos por todos os paroquianos. De acordo com o Semanário V, que avançou a notícia na sua edição online, esta segunda-feira, ouviu alguns paroquianos que não acharam o apelo “conveniente”. “Esse tipo de pedidos devia ser feito de forma privada e não através de um boletim”, defende o popular ouvido pelo jornal.

O prémio do Euromilhões da terça-feira da semana passada saiu a um único apostador, que registou a aposta num café de Lousado. Com uma aposta de 2,5 euros, um jovem trabalhador da Continental Mabor venceu 61 milhões de euros. A identidade do vencedor não é ainda conhecida.