A Polícia Judiciária (PJ) anunciou esta quinta-feira a detenção na Amadora de duas mulheres suspeitas de burlar uma pessoa em «milhares de euros» através de um esquema em que se propunham «benzer» dinheiro para curar um mal a um familiar.

De acordo com a PJ, as detidas, de 63 e 64 anos, são vendedoras ambulantes que há cerca de um ano abordaram e convenceram uma mulher de que um familiar seu sofria de um «mal grave» e que só seria curado caso esta lhes entregasse elevadas quantias de dinheiro, em notas, para ser «benzido» por ambas.

Fonte da PJ disse à agência Lusa que existem várias situações semelhantes na Grande Lisboa, mas que vão variando consoante os bens das vítimas.

«Neste caso, que aconteceu na Amadora, só levaram dinheiro, cerca de 32 mil euros, noutros passou por pedirem peças em ouro para benzerem. Aproveitam-se de alguma situação de fragilidade em que as pessoas se encontram. As vítimas, por norma, são mulheres, já de alguma idade, mas não é este o caso, uma vez que se tratou de uma pessoa relativamente nova», cita a Lusa.

O esquema teve início quando as suspeitas propuseram à mulher «a leitura da sina e umas rezas», mas rapidamente se aperceberam da «fragilidade» da vítima face à situação de um familiar.

A fonte da Judiciária adiantou que este crime foi praticado por pessoas «sem estudos, iletradas», que conseguem enganar até pessoas com um nível de instrução superior.

As mulheres vão ser presentes a tribunal para primeiro interrogatório judicial.

Atualmente, adiantou, além deste caso, quatro outras mulheres encontram-se a aguardar julgamento em prisão preventiva devido ao mesmo tipo de esquema praticado na Grande Lisboa.