O pavilhão desportivo do Agrupamento de escolas de Ourique foi encerrado depois de ter sido detetada a bactéria legionella, confirmou a TVI. 

Ao que a TVI apurou não há até ao momento ninguém infetado. A bactéria foi encontrada depois de terem sido realizadas análises ao balneário do pavilhão. 

A associação de pais publicou no Facebook o comunicado divulgado pela escola. 

Entretanto, num comunicado enviado à agência Lusa, a Câmara de Ourique explica que o valor de legionella no balneário foi detetado numa das análises de rotina que o município realiza "por sua estrita iniciativa" à qualidade da água dos equipamentos públicos do concelho de maior utilização.

"De imediato", foi encerrado o balneário e contactada a Autoridade de Saúde Pública e procedeu-se a mais averiguações, que "levaram ao desencadear de uma intervenção preventiva e à adoção de mecanismos de desinfeção".

O autarca Marcelo Guerreiro garantiu que "não há qualquer caso de doença" entre alunos, professores e funcionários da escola e que o município já informou a Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo sobre a situação.

Devido à situação e ao encerramento do balneário feminino não estão a decorrer atividades no pavilhão gimnodesportivo da escola.

A autarquia refere que, em articulação com a direção da escola, "tudo fará para superar, tão rapidamente quanto possível, os transtornos causados pelo encerramento do balneário feminino do pavilhão".

O diretor do estabelecimento, Fernando Santos, informa numa nota no site do agrupamento que as atividades letivas serão retomadas no pavilhão "assim que a situação se encontre regularizada".

A Câmara de Ourique refere também que, "como sempre, a saúde pública e a salvaguarda" das crianças e dos jovens do concelho "estarão na primeira linha" das suas "preocupações e ações" e, "apesar de não ser obrigatório", vai continuar a realizar análises regulares de avaliação da qualidade da água nos equipamentos públicos "para zelar pelo bem-estar e saúde" dos habitantes do concelho.

Segundo a autarquia, "por vontade do legislador, os municípios gestores de equipamentos de utilização pública não estão obrigados a analisar a qualidade da água utilizada" nos edifícios.

No entanto, "em defesa da saúde pública" dos habitantes do concelho, o município refere que realiza análises regulares à qualidade da água dos equipamentos públicos de maior utilização.