A avó de uma bebé lusodescendente retirada pelos serviços sociais britânicos em abril, está em greve de fome desde o dia 1 de outubro. 

A mulher contesta a decisão do tribunal que, meses depois de ter retirado a menina da guarda da mãe - uma portuguesa de 30 anos emigrante em Inglaterra há cinco -, decidiu entregar a custódia ao pai, como noticia o jornal «Público». 

O processo foi desencadeado no hospital onde a menina, então com cinco meses, foi assistida, já que o pediatra não acreditou na versão de que o hematoma que bebé apresentasse tivesse sido provocado pela queda da cadeira de descanso. 

Os serviços de proteção de menores tomaram conta da ocorrência e da guarda da criança. O processo decorreu até final de setembro, com o tribunal de menores a decidir que a custódia da menina ficaria entregue ao pai, inglês, e à avó paterna, podendo a mãe e a avó visitar a filha. 

A secretaria de Estado das Comunidades está a acompanhar o caso. Por agora, resta esperar por nova audiência, em janeiro de 2015.

Mãe e filha, emigrantes portuguesas, ainda estão à espera do desfecho do processo em que são suspeitas de agressão.

A bebé, filha de pai inglês e mãe portuguesa, completa um ano a 1 de Novembro.