A base militar de Figo Maduro será encerrada ao mesmo tempo que o aeroporto da Portela, em Lisboa. Este era o desejo do governo liderado por António Guterres quando escolheu a Ota como localização do Novo Aeroporto de Lisboa (NAL) e mantém-se no governo de José Sócrates.

A decisão está clara na «Análise do Encerramento do Aeroporto da Portela e Plano de Relocalização e Gestão Preliminar do Aeroporto», um dos estudos divulgados pela NAER SA na passada semana, e realizado pela empresa americana Parsons FCG a pedido da mesma em Abril de 2002.

Dos actuais 14 edifícios da base militar, 12 serão demolidos e dois serão reutilizados como hangar. Todos os passos estão descritos no documento e agora são do conhecimento público, após o primeiro-ministro na votação na generalidade do Orçamento de Estado ter exibido quatro cd-roms com parte dos estudos.

Fica determinado, ainda, que «caberá à Força Aérea a responsabilidade pela remoção, transporte e relocalização de todas as respectivas infra-estruturas para a base que ficará localizada no NAL».

Questionado sobre esta decisão, a Força Aérea disse ao PortugalDiário que considera «normal» que Figo Maduro seja desmantelado. Afinal, «junto a uma aeroporto internacional existe, por norma, um terminal militar que serve a actividade da Força Aérea do país e os serviços do Estado», afirma o Coronel Barbosa, relações públicas do CEMFA (Chefe de Estado Maior da Força Aérea).

Para o Coronel Barbosa, estas são «as contingências da própria evolução de uma estrutura aeronáutica». Mesmo que a Portela continue a existir, «não faz sentido que a base militar permaneça junto a um aeroporto secundário, mas que passe para o novo aeroporto internacional». Ou seja, mudando a Portela, muda também Figo Maduro.

A base de Figo Maduro, «é uma estrutura de Estado, apesar de ser gerida pela Força Aérea» e a mudança de localização acontece para que os serviços continuem à disposição da Força Aérea e do Estado». E exemplifica com o caso do Serviço de Estrangeiros e Fronteiros (SEF) e alfândegas que também serão relocalizados para a Ota.