“Eu vejo que em todas as cidades europeias, seja em Espanha ou em França, as câmaras municipais chamam a si esta competência. Não sei porque é a Câmara de Lisboa não o faz, se já tem outras competências que lhe permitem regular a ordem pública em determinados espaços”, observou Isabel Sá da Bandeira.