A cantina da escola básica do 1º ciclo das Laranjeiras, em Lisboa, foi encerrada na sexta-feira para uma desbaratização, depois de "um aluno ter detetado uns bicharocos" na sua refeição.

O diretor do agrupamento, Amílcar Santos, explicou esta segunda-feira que a escola logo notificou a Câmara Municipal de Lisboa, a quem cabe a supervisão das infraestruturas deste nível de ensino, na sequência do sucedido. 

“Aquilo que fizemos foi notificar a Câmara, que procedeu de imediato, na sexta-feira, juntamente com a ASAE [Autoridade de Segurança Alimentar e Económica], a uma inspeção. Decidiu-se encerrar nesse dia a cantina, para que no sábado fosse feita uma desinfeção e colocação das armadilhas necessárias, o que foi feito”, afirmou, citado pela Lusa.

Na sexta-feira e hoje, os mais de 300 alunos tiveram “uma refeição volante", mas esta terça-feira "já começam as refeições quentes, através de uma empresa de ‘catering’”, deu ainda conta o mesmo responsável.

Amílcar Santos garantiu ao mesmo tempo que esta foi uma solução ponderada, porque “a alternativa era encerrar a escola”.

Apesar de destacar que está a ser feito um controlo dos insetos,o diretor do agrupamento referiu que as refeições ainda não serão confecionadas na escola porque “continua pendente um problema de gás na caldeira, que impede a água quente de chegar à cozinha, o que uma empresa vai retificar esta semana”.

A Câmara Municipal de Lisboa esclareceu entretanto que, quando a praga de infestantes for resolvida, a ASAE realizará uma vistoria e o refeitório voltará a funcionar.

Em resposta a questões da agência Lusa, a autarquia esclarece que foi detetada a "existência de uma praga de infestantes na cozinha e refeitório daquele estabelecimento de ensino, [e um] problema de funcionamento da hote e da caldeira", acrescentando que, assim que aqueles "estiverem resolvidos, solicita-se uma vistoria à ASAE, podendo esta determinar o levantamento da interdição".

Depois da interdição da cozinha e refeitório da escola, no sábado passado, realizou-se a "desinfestação de todos os espaços escolares, havendo um reforço da ação na cozinha" hoje. "A caldeira já está a funcionar e a hote (chaminé com exaustor) aguarda que se terminem os trabalhos de reparação".