Papel por alimentos


“Ainda hoje me impressiono com os resultados da campanha”, que todos os anos recolhe, em média, cerca de três toneladas de papel, “o que é muito incentivador e mobilizador para o nosso trabalho”, disse à agência Lusa o secretário-geral da Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares, Manuel Paisana.







“É uma oportunidade para que todos possam assumir um papel importante e essencial na luta contra a fome, contra o desperdício, e evitando também a destruição de floresta”, disse Manuel Paisana, sublinhando que é uma campanha transversal a todos os estratos sociais e setores de atividade.