Uma baleia anã morta, com cerca de quatro metros, deu hoje à costa na praia de Vale do Lobo, no Algarve, mas a remoção do mamífero só vai ser feita na quarta-feira, disse à agência Lusa fonte da Polícia Marítima.A Autoridade Marítima do Sul recebeu o alerta às 14:45, através da empresa que faz a segurança ao complexo turístico de luxo de Vale do Lobo, no concelho de Loulé, a dar conta de que um mamífero marinho tinha sido encontrado no areal, adiantou a fonte.

No local, as autoridades identificaram o mamífero como uma «baleia anã, juvenil, com cerca de três a quatro metros de comprimento, inteira», mas que “apresentava já alguns sinais de decomposição», precisou a Polícia Marítima (PM) num comunicado do seu Comando Local de Faro.

«Em simultâneo, envolveu-se a Sociedade Portuguesa de Vida Selvagem, que colocou no local uma equipa de duas biólogas e uma veterinária, tendo em vista a recolha de dados biométricos e eventual realização de necropsia para determinação das causas da morte do cetáceo», acrescentou a PM.

Os dados recolhidos foram depois partilhados com o Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF) e com o Aquário Vasco da Gama, que «também estudam e monitorizam estes acontecimentos» de animais marinhos que dão à costa, referiu ainda a PM.

A empresa municipal Infralobo, que tem por missão tratar das infraestruturas do complexo de Vale do Lobo, ficou responsável pela remoção da baleia, «tendo em vista a proteção da qualidade ambiental», adiantou a PM no comunicado.

Fonte da PM de Faro disse à Lusa que hoje o cetáceo «apenas foi colocado em segurança» e «só na quarta-feira é que irá ser retirado do local» pela empresa municipal, que é «quem tem a responsabilidade da limpeza da praia» e «dispõe de meios técnicos para fazer esse trabalho». Os trabalhos ainda não têm um horário definido, acrescentou.

A Polícia Marítima informou também, no comunicado, que «os mamíferos marinhos são protegidos por convenções internacionais» e cabe à Autoridade Marítima fazer a sua fiscalização, «nos termos do Regulamento de Proteção dos Mamíferos Marinhos nas Águas Interiores, no Mar Territorial e na Zona Económica Exclusiva Continental Portuguesa».