O diretor do Observatório Meteorológico do Funchal, Victor Prior, disse hoje que a chuva que caiu durante a noite «não foi nada de especial», apesar de vigorar ainda um aviso vermelho para as zonas montanhosas.

«No Funchal, desde a meia-noite até agora [08:20] a precipitação foi de seis milímetros por metro quadrado no Funchal, 28,9 milímetros por metro quadrado no Arieiro e 21,6 milímetros por metro quadrado no Porto Santo, quantidades que não são muito significativas», adiantou à agência Lusa.

«São valores que estão dentro do esperado até à entrada em vigor do aviso vermelho para as zonas montanhosas», disse.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prolongou hoje o aviso vermelho - o mais grave numa escala de quatro - para precipitação no arquipélago da Madeira até às 18:00.

O IPMA emitiu ainda um aviso amarelo (o terceiro mais grave) para vento até às 15:00 de segunda-feira, prevendo rajadas na ordem dos 90 quilómetros horários, aumentando para 110 quilómetros horários a partir do final do dia de hoje.

A partir das 18:00 de hoje e até às 18:00 de segunda-feira estará em vigor um aviso amarelo para precipitação, com períodos de chuva ou aguaceiros por vezes fortes acompanhados de trovoada.

No sábado, o Serviço Regional de Proteção Civil (SRPC) tinha emitido um comunicado alertando para a eventual ocorrência de precipitação entre as 21:00 de hoje e as 09:00 de segunda-feira no arquipélago da Madeira.

«Associado à aproximação e passagem de uma superfície frontal fria de atividade moderada a forte e ao desenvolvimento de uma região depressionária a sudoeste do arquipélago da Madeira, prevê-se a ocorrência de precipitação entre as 21:00 do dia 18 e as 09:00 do dia 20 de outubro», diz o comunicado do SRPC.

Este organismo detalha que «entre as 03:00 e as 18:00 de domingo a precipitação poderá ser por vezes forte, acompanhada de trovoada e de rajadas de vento», predominando neste período o aviso laranja meteorológico.

A nota acrescenta que «durante o dia de domingo e manhã de segunda-feira poderão ser registados períodos de vento moderado a forte, com rajadas da ordem de 70 quilómetros/horários nas regiões costeiras e da ordem de 90 a 110 quilómetros/horários nas regiões montanhosas».

As onze corporações de bombeiros da Região Autónoma não foram solicitadas a intervir, apesar da chuva, trovoada e vento que se fez sentir a partir das 03:00 de hoje no arquipélago da Madeira.

Numa ronda telefónica pelas corporações todas confirmaram que «não houve saídas por causa do mau tempo».

O Aeroporto Internacional da Madeira está a funcionar normalmente e o navio «Lobo Marinho» que faz a ligação entre o Funchal e o Porto Santo também irá fazer a sua viagem regular.

«As condições meteorológicas não são suficientes para impedir que o navio faça a viagem», disse à agência Lusa o comandante João Bela.

O «Lobo Marinho» transporta do Funchal para o Porto Santo cerca de 200 passageiros e, no regresso, outros 600.As onze corporações de bombeiros da Região Autónoma não foram solicitadas a intervir, apesar da chuva, trovoada e vento que se fez sentir a partir das 03:00 no arquipélago da Madeira.

Capitania do Funchal emite aviso de agitação maritima forte

A Capitania do Porto do Funchal emitiu, entretanto, um aviso de agitação marítima forte de Sinal 6, numa escala de 12, para o arquipélago da Madeira, o que significa vento entre 51 e 62 quilómetros horários, de qualquer direção.

Devido a estas condições meteorológicas, a Capitania recomenda os proprietários ou armadores das embarcações a tomarem as devidas precauções «por forma a que estas permaneçam nos portos de abrigo».

Citando o Instituto Português do Mar e da Atmosfera, a Capitania adianta que a situação geral do estado do tempo (vento e mar) para a orla marítima até às 06:00 de segunda-feira referente ao arquipélago da Madeira é de vento do quadrante sul moderado a fraco, aumentando gradualmente para muito fresco a forte e visibilidade moderada, por vezes fraca a má, até ao final da tarde.

A ondulação costa norte será de ondas noroeste de 2,5 a 3,5 metros, diminuindo para dois a três metros, e na costa sul de ondas de sudoeste de dois a três metros, aumentando gradualmente para quatro a cinco metros.

Dois aviões divergiram devido ao mau tempo

Dois aviões com destino ao Funchal divergiram, entretanto, devido às más condições atmosféricas na Madeira, revelou uma fonte aeroportuária.

O voo da Easyjet proveniente de Lisboa regressou a Lisboa e o da Transavia Lyon/Porto voltou igualmente para o Porto.

O EasyJet reprogramou os seus voos para segunda-feira.