O Hospital de Mirandela esteve esta sexta-feira sem luz durante três horas, período durante o qual só funcionou a rede de emergência com recurso a um gerador, confirmou à Lusa a administração hospitalar.

A avaria atribuída a uma sobrecarga elétrica afetou o quadro geral da segunda maior unidade hospitalar do Nordeste Transmontano, que ficou sem energia elétrica da rede entre as 8:30 e as 11:30, de acordo com informação prestada pelo Gabinete de Comunicação e Imagem da Unidade Local de Saúde do Nordeste (ULSNE).

A entidade que gere a saúde nesta região adianta que se tratou de uma avaria «por responsabilidade do fornecedor externo de energia», que «afetou o quadro geral daquela unidade devido ao facto de ter queimado não um, mas dois fusíveis de média tensão», que foi necessário substituir.

Durante quase toda a manhã, verificaram-se atrasos em alguns serviços, como os administrativos e nas consultas externas devido à falta de energia.

«Apesar do natural transtorno, esta avaria não provocou problemas de maior, uma vez que existem duas redes de fornecimento de energia: a normal e a de emergência, alimentada por um gerador, e à qual estão permanentemente ligadas todas as áreas vitais à prestação de cuidados de saúde», esclarece a ULSNE.

No esclarecimento enviado à Lusa, a ULSNE indica ainda que «foi efetuada a assistência prevista aos utentes, sendo de salientar que o Bloco Operatório não funcionou, mas devido à greve dos profissionais de enfermagem em curso durante o dia de hoje».

Aquela entidade salienta que, não fosse a greve dos enfermeiros, o Bloco Operatório «estava preparado para operar, mesmo na situação de falha de luz».