Mais de três quartos dos idosos conseguem fazer os cuidados pessoais sem ajuda, mas mais de metade tem dificuldades em desempenhar atividades domésticas com autonomia, revela o “Inquérito Nacional de Saúde 2014”, divulgado pelo INE.

De entre a população com 65 ou mais anos (2,1 milhões), mais de 1,6 milhões não tinham dificuldades na realização dos cuidados pessoais, refere o inquérito do Instituto Nacional de Estatística (INE), realizado em colaboração com o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA).

Dos restantes, cerca de 458 mil referiram ter pelo menos uma dificuldade na realização dos cuidados pessoais sem ajuda.

O inquérito precisa que 343 mil idosos tinham dificuldade em tomar banho ou duche (16,3%), 305 mil em deitar-se e levantar-se da cama ou em sentar-se e levantar-se de uma cadeira (14,5%) e 289 mil tinham dificuldade em vestir-se ou despir-se (13,7%).

Houve ainda 154 mil (7,3%) que disseram ter dificuldade em utilizar a retrete, cerca de 79 mil em lavar as mãos e a cara sem ajuda (3,8%) e 65 mil disseram que lhes custava alimentar-se sozinhas (3,1%).

Um milhão com dificuldades na realização de tarefas

No que respeita à realização de atividades domésticas, cerca de um milhão de idosos disseram ter pelo menos uma dificuldade em executá-las sem ajuda.

Segundo o estudo, 261 mil idosos tinham dificuldade em preparar refeições (12,4%), 238 mil em gerir o dinheiro e tarefas administrativas (11,3%), 214 mil em preparar e tomar a medicação a horas (10,2%) e 174 mil tinham dificuldade em usar o telefone (8,3%).

O INE acrescenta que 490 mil idosos referiram dificuldades para ir às compras (23,3%), 414 mil em realizar tarefas domésticas ligeiras (19,7%) e 910 mil mencionaram dificuldades na realização de tarefas domésticas pesadas ocasionais (43,2%).