Populares de Perafita, Alijó, manifestaram-se, esta terça-feira, contra a falta de água que afeta a aldeia desde abril, um protesto que acabou com o presidente da Junta a ser empurrado por um dos manifestantes, constatou a Lusa no local.

O protesto era contra a falta de água, mas à chegada do presidente da Junta de Vila Verde à localidade os ânimos exaltaram-se com alguns populares a gritarem palavras de ordem como «vergonha» ou «mentiroso» e um dos manifestantes acabou por empurrar Domingos Henriques, que caiu no chão.

A GNR, presente no local, interveio de imediato e acabou por identificar o alegado agressor. O autarca Domingos Henriques, em declarações aos jornalistas, lamentou a situação e disse estar a pensar se avança ou não com procedimento criminal contra o suspeito. «São situações que não se admitem, nem eu posso admitir uma coisa dessas. Isto é reprovável», salientou o autarca.

A população de Perafita queixa-se da falta de água, um problema que diz que está a afetar a aldeia desde abril, mas que se intensificou neste mês devido ao regresso de muitos emigrantes. O abastecimento é feito através de nascentes, com a água a ser encaminhada para um depósito.

Os manifestantes dispararam críticas contra o presidente da junta, a quem acusam de «não fazer nada» e de «não estar ao lado» das pessoas desta aldeia da freguesia de Vila Verde.

O autarca Domingos Henriques garantiu que tem estado a tentar resolver o problema conjuntamente com a Câmara de Alijó, a responsável pelo abastecimento de água. «Este é um problema que já se arrasta há uns anos, não é só de agora. Se não se substituir as tubagens que ligam as aldeias à nascente, o problema só vai ser resolvido temporariamente», explicou.

O autarca explicou que tem pedido à câmara para que seja feito um levantamento estrutural de toda a canalização e que contactou os bombeiros no sentido de virem à aldeia com uma cisterna de água, tendo, no entanto, obtido a resposta de que os «camiões não cabem nos caminhos».

Esta terça-feira, um técnico do município esteve no local a substituir uma bomba que estava estragada, mas Domingos Henriques teme que seja apenas uma «resolução temporária do problema».

O protesto dos habitantes de Perafita já teve início na segunda-feira, quando retiveram durante algum tempo uma carrinha da junta, uma situação que foi resolvida com a chegada da GNR ao local. Os mesmos militares foram esta terça-feira recebidos com palmas por parte dos populares.