O novo sistema para revalidação de cartas de condução, implementado pelo Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT) em março, permitiu reduzir, em 100 mil, os cerca de 280 mil processos em atraso, anunciou esta quarta-feira o secretário de Estado com essa pasta. 

Foi graças ao Sistema de Obtenção Fiável de Imagem e Assinatura (SOFIA) que essa redução foi conseguida, o que implicou, também, o alargamento do horário do trabalho dos serviços do organismo público, dada a pilha de processos. 

«Os trabalhadores aderiram voluntariamente. Quero agradecer aos que tiraram tempo das suas vidas pessoais para resolver um problema que é de todos», destacou Sérgio Monteiro.

Já antes o ministro da Economia, Pires de Lima, tinha referido «o desconforto com o tempo de espera na renovação das cartas de condução sobretudo para pessoas que têm na condução a sua profissão».

A notícia que dá conta do atraso de 280 mil cartas de condução e deste novo sistema foi avançada na edição desta quarta-feira do «Jornal de Negócios». O presidente do IMT, João Carvalho, confirmou à Lusa este número, adiantando que diz respeito a cartas «acima de tudo de 2014 e 2013», e que mais de 80% destas são da Grande Lisboa.

«95% destes atrasos devem-se às fotografias de má qualidade que eram entregues». «A partir de agora não há papéis»

O presidente do IMT explicou que, agora, o condutor que apresenta o Cartão do Cidadão terá facilidade na revalidação.