Mais dois elementos do grupo envolvido em assaltos a máquinas ATM com recurso a rebentamento por explosão do cofre da caixa foram detidos esta semana pela Polícia Judiciária, informou, esta sexta-feira, a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL).

As duas detenções acontecem depois de outros três suspeitos terem ficado em prisão preventiva, a 12 de dezembro de 2017, no âmbito do caso relativo a “assaltos a ATM”, pela prática dos crimes de associação criminosa, furto qualificado, falsificação de documento agravado, explosão e detenção de arma proibida.

Segundo a investigação, apurou-se que, em 2016, os arguidos, em "comunhão de esforços e vontades", decidiram roubar dinheiro dos terminais de ATM (multibancos), fazendo explodir as caixas ao injetar gás acetileno na ranhura das notas das caixas e ligando cabos elétricos a uma bateria.

Os arguidos - indica a PGDL - obedeciam a um plano previamente traçado e a uma estrutura hierárquica do grupo.

Um dos arguidos agora detido ficou também em prisão preventiva.

O inquérito prossegue sob a direção do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa, ajudado pela Polícia Judiciária.