O secretário de Estado das Comunidades, José Cesário, esta tarde à TVI24 que "é imprevisível" saber se existem portugueses entre as vítimas do ataque contra dois hotéis na Tunísia.

"Não há informações. Temos estado em contacto com as embaixadas. É imprevisível. Até ao momento não temos informações",  disse o secretário de Estado.


A rádio tunisina Mosaique FM avança que a maior parte das vítimas mortais são de nacionalidade alemã e britânica, mas há também belgas, russos e tunisinos. 

Pelo menos 28 pessoas morreram, a maior parte turistas europeus, e 36 ficaram feridas, nesta sexta-feira, na sequência de um ataque a dois hotéis na zona turística de Sousse, no sul da Tunísia. 

Segundo o porta-voz do Ministério do Interior tratou-se de "um ataque terrorista contra o hotel internacional Marhaba, em Sousse", disse Mohamed Ali Aroui, à televisão nacional. 

O hotel RIU Imperial Marhaba pertence à cadeia espanhola RIU e está situado no enclave turístico de Port Kantaoui, na cidade de Sousse. 

Segundo o porta-voz governamental, dois atiradores abriram fogo na praia privada do Marhaba, numa altura em que muitos turistas se encontravam no areal. A Mosaique FM noticia que os atacantes estariam armados com Kalashnikov e que abriram fogo indiscriminadamente na praia e no "lobby" daquela unidade.