O Governo português disse hoje que, até ao momento, não é possível apurar se há portugueses entre as vítimas do ataque de terça-feira em Nova Iorque e que está a acompanhar a situação através das autoridades consulares.

“Neste momento ainda não é possível apurar se há portugueses entre as vítimas mortais ou entre os feridos do ataque de terça-feira em Manhattan”, disse à agência Lusa fonte do gabinete secretário de Estado das Comunidades, José Luis Carneiro.

A mesma fonte adiantou que o Governo está a acompanhar a situação através das autoridades consulares portuguesas em Nova Iorque, ressalvando que até ao momento “não foi possível apurar se há cidadãos portugueses envolvidos”.

Uma ciclovia movimentada perto do memorial do World Trade Center, em Manhattan, foi palco de um ataque cometido por um homem que investiu uma carrinha contra pessoas, causando pelo menos oito mortos e 11 feridos, segundo o mais recente balanço oficial.

O homem responsável pelo ataque é natural do Uzbequistão e vive nos Estados Unidos desde 2010, anunciaram as autoridades.

A carrinha, que tinha sido alugada, atingiu várias pessoas, com o condutor a abandonar depois a viatura com duas armas, uma de 'paintball' e outra pressão de ar, disse James O'Neill, comissário da polícia.