Um português está entre as vítimas mortais do ataque terrorista, desta sexta-feira, em França.

"Confirma-se a morte de um português. Foi confirmado pelas autoridades francesas aos nossos serviços consulares", disse à agência Lusa José Luís Carneiro, secretário de Estado das Comunidades, que viaja de Paris para Lisboa no final da tarde desta sexta-feira.

Contactado pela TVI, o governante disse que ainda não pode confirmar nem desmentir que se trate do português ferido no atentado. O secretário de Estado informou que está a tentar confirmar a identificação da vítima portuguesa.

O ataque terrorista causou quatro vítimas mortais, entre as quais o atacante, e 16 feridos, segundo o presidente francês, Emmanuel Macron.

Entretanto, o procurador de Paris anunciou, em conferência de imprensa, que foi detida uma pessoa "próxima do autor dos ataques, que partilhou a vida com ele". O Le Monde diz que se trata da companheira do jovem.

Há "numerosas investigações" a decorrer para determinar a proveniência da arma, mas também as circunstâncias em que o homem a obteve e eventuais cúmplices.

Redouane Lakdim, 26 anos, sequestrou trabalhadores e clientes num supermercado de Trèbes, afirmando agir em nome do grupo extremista Estado Islâmico.

Antes, o atacante roubou um automóvel em Carcassonne, matando um passageiro e ferindo o motorista português, e, no caminho para Trèbes, disparou seis tiros contra um grupo de quatro polícias, ferindo um deles, sem gravidade, segundo fontes próximas da investigação.