O naufrágio do navio pesqueiro português Santa Ana, próximo de Cabo Peñas (Astúrias), no qual morreram duas pessoas e seis ficaram desaparecidas, pode ter sido causado por um baixio, disse à Lusa fonte da empresa armadora Pescas Balayo.

Naufrágio de pesqueiro português faz 2 mortos e 6 desaparecidos

«Foi um baixio perto do porto, um monte no fundo do mar em que o barco passou. Alguém não se apercebeu onde estava e o barco, como ia em navegação, meteu-se na pedra, rasgou o fundo e afundou-se imediatamente», disse à Lusa Armando Soares, representante das Pescas Balayo em Portugal.

Armando Soares adiantou ter falado com o armador José Balayo durante a madrugada, que lhe deu a notícia do naufrágio, «naturalmente muito transtornado».

De acordo com o representante da empresa, tratava-se de uma tripulação de nove pessoas, sete espanhóis e dois portugueses.

«Foi encontrado um tripulante com vida, um espanhol. Foram também recolhidos dois corpos, dos quais ainda não se conhece a naturalidade, e os restantes estão desaparecidos», disse.

De acordo com Armando Soares, o armador espanhol tem mais dois navios portugueses.

Outra fonte da empresa armadora, a Jose Balayo, em Avilés (Astúrias), disse, por seu lado, à Lusa que ainda não é conhecida a identidade das duas vítimas mortais nem tão pouco as causas do acidente.

«O acidente ocorreu às 05:30 [04:30 em Portugal] e ainda não sabemos nada», disse a fonte.

A mesma fonte confirmou que o navio tem matrícula de Leixões mas opera na zona das Astúrias «há vários anos» e com a mesma tripulação «há cerca de dois anos».

A tripulação do Santa Ana era formada por nove tripulantes, dois dos quais portugueses, provenientes de Matosinhos e Leça, cinco espanhóis e dois indonésios.

Desconhece-se para já a nacionalidade dos mortos, que está semiafundada pela zona da popa.

O Salvamento Marítimo espanhol informou através do Twitter que o navio Salvamar Rigel chegou a Avilés às 11:10 (10:00 em Portugal) com os corpos dos dois mortos.

Quanto ao sobrevivente espanhol, trata-se do capitão da embarcação, Manuel Simal Sande, de 50 anos, e foi hospitalizado em San Agustin, Avilés.

Segundo fonte do Salvamento Marítimo espanhol, o pesqueiro, de bandeira portuguesa afundou-se hoje a cerca de meia milha de Cabo Peñas, zona onde continuavam hoje de manhã as operações de busca envolvendo meios marítimos e aéreos.

O Salvamento Marítimo informou que às 05:30 locais (04:30 em Lisboa) o pesqueiro Ciudad de Albufeira falou com o Centro de Coordenação de Salvamento em Gijón, alertando para o possível naufrágio do Santa Ana, com o qual deixou de conseguir contactar.