"É uma das conclusões relevantes desta nossa reunião. Estes quatro países acordaram em pedir a Bruxelas no dia 07 de setembro - e também falar com outros países para criar uma maioria qualificada - de pedir um aumento dos preços de referência, que permitem retirar produto do mercado quando o produto está em excesso - e que está a pressionar o preço para baixo - e com isso ajudar a regular o preço do próprio produto", disse à agência Lusa a ministra da Agricultura de Portugal, Assunção Cristas.


novos mínimos

"A nossa preocupação é que o preço possa subir a ponto de ser efetivamente um mecanismo regulador, que neste momento entendemos que não está a ser", disse Assunção Cristas.


Assunção Cristas

"Espero que alguns países como a Polónia - que esteve connosco na crítica ao fim das quotas leiteiras - a Eslovénia, a Bulgária e eu creio que todos os que estão no Norte da Europa, mais próximos da Rússia - mais diretamente afetados pelo embargo da Rússia - e onde os preços estão mais baixos têm todo o interesse em apoiar estas medidas", salientou a ministra.









Parecer científico sobre apanha da sardinha "tem erro de metodologia"


redução da captura

 Assunção Cristas no final do encontro com os seus homólogos. A ministra pediu mesmo




"Antes desta reunião do leite, e a pedido de Portugal, fizemos um ponto de situação da pesca da sardinha em Portugal e Espanha, com a ministra espanhola [Isabel Tejerina]. Ficamos com os dados atualizados da pescaria de sardinha do lado espanhol: neste momento Espanha pescou cerca de metade daquilo que se prevê que possa vir a pescar", disse Assunção Cristas.



"Discutimos o último parecer do ICES, que nos parece ter ali algum problema de erro subjacente na metodologia. O que vamos fazer em conjunto é trabalhar, no sentido de partilhar os melhores dados científicos que existem em Portugal e Espanha e conferir com o ICES os dados que eles dispõem", sublinhou.