Treze pessoas foram detidas por pertencerem a uma associação criminosa, que praticava furtos em viaturas, residências, estabelecimentos comerciais e em caixas de multibanco, através de explosões de gás, informou hoje a Polícia Judiciária (PJ).

Segundo a PJ, existem fortes indícios de ligação do grupo a 20 crimes de furto qualificado, dez crimes de explosão, quatro crimes de violência após subtração, a um crime de associação criminosa, outro de branqueamento de capitais e a diversos crimes de detenção de armas proibidas e de dano com violência.

Esta associação criminosa - agora desmantelada pela Unidade Nacional Contra Terrorismo (UNCT) da PJ - era constituída por pessoas consideradas «extremamente perigosas», possuindo «vastos antecedentes criminais» e larga experiencia na área da criminalidade violenta e contra a propriedade.

No âmbito da operação «Todo o Terreno» foram ainda apreendidas várias armas, viaturas e outros objetos relacionados com a atividade criminosa.

Os detidos estão a ser submetidos a primeiro interrogatório judicial para a aplicação da medida de coação.