Nove dos 11 arguidos julgados em Lisboa, por roubo de viaturas de alta cilindrada e furtos em máquinas multibanco e marcos do correio, foram condenados a penas de prisão efetiva, segundo nota da Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL).

As penas de prisão efetiva variaram entre os 12 anos e os dez meses de cadeia.

Segundo a nota da PGDL, neste processo, julgado na 4.ª Vara Criminal de Lisboa, os arguidos estavam acusados pelo Departamento de Investifação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa pela prática dos crimes de associação criminosa, roubo e furto simples e qualificado, falsificação de documento, violação de correspondência, receptação e condução sem habilitação legal.

Os factos ocorreram entre junho de 2010 e maio de 2011, e dizem respeito ao roubo de viaturas de alta cilindrada por alguns dos arguidos que, actuando encapuzados, furtavam seguidamente máquinas multibanco (ATM), com recurso a uma rebarbadora.

Outros dos arguidos quebravam e abriam marcos de correio para se apoderarem de correspondência contendo vales e cheques que, posteriormente, falsificavam, por forma a poder levantar as quantias.

No acordão condenatório, proferido no passado dia 19, um dos arguidos foi condenado a 12 anos de prisão efectiva, outro a nove anos e seis meses de prisão efectiva e três outros a cinco anos de prisão.

Verificaram-se ainda penas de quatro anos e seis meses de prisão efectiva e de dez meses de prisão efectiva, escreve a Lusa.