A Polícia Judiciária (PJ) deteve dois homens suspeitos de terem roubado e sequestrado um taxista de Guimarães, na madrugada de 17 de fevereiro, informou esta quarta-feira aquela força.

Em comunicado, a PJ refere que os suspeitos se dirigiram à vítima, um taxista de 77 anos, e lhe solicitaram um serviço para local próximo na cidade de Guimarães.

«Chegados ao destino, os suspeitos manietaram o ofendido e, após agressões físicas violentas, procederam à subtração de dinheiro, documentos diversos e um telemóvel.»


Terão levado o taxista para um local ermo no concelho de Santo Tirso, onde o abandonaram, tendo-se entretanto apossado de uma arma de fogo e munições que o ofendido legalmente detinha na viatura.

Acabaram por abandonar a viatura roubada na área de Vila do Conde.

Na terça-feira, a PJ localizou, em Vila Nova de Famalicão, um dos suspeitos, «no exato momento em que, tudo indicava, estaria iminente uma situação de roubo de pessoas e viaturas com utilização de arma de fogo».

As diligências que se seguiram permitiram localizar o coautor do roubo e sequestro do taxista, tendo sido encontrados e apreendidos objetos subtraídos ao ofendido, como a arma de fogo, munições e o telemóvel.

A PJ apreendeu ainda outros objetos «que se presume estarem relacionados com outro roubo e sequestro, designadamente a um taxista na cidade de Braga», ocorrido também este mês.

«As diligências desenvolvidas indiciam fortemente que os suspeitos acordaram entre si praticar crimes de roubo de taxistas com a intenção de obterem quantias monetárias, por saberem que as potenciais vítimas são, normalmente, portadores de numerário em valor significativo», refere ainda o comunicado da PJ.

Um dos detidos encontra-se em liberdade condicional, após ter já cumprido cerca de 17 anos de uma pena de 19 anos e oito meses pelos crimes de homicídio e furtos vários.

O outro também já cumpriu uma pena de prisão efetiva por condução sem habilitação legal.

Um tem 33 anos e o outro 36.

Vão ser presente a primeiro interrogatório judicial para aplicação das respetivas medidas de coação.