Os dois arguidos que no verão de 2017 realizaram um assalto a uma casa em Lisboa e que acabou na morte do proprietário ficaram em prisão preventiva, indicou hoje a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL).

A PGD adianta que os dois arguidos “fortemente indiciados pelo crime de roubo agravado pelo resultado morte” foram ouvidos, na quinta-feira, pelo juiz de instrução criminal, que lhes aplicou prisão preventiva.

Acompanhados de outras três pessoas ainda não identificadas, os dois arguidos deslocaram-se a uma residência, em julho de 2017, em Lisboa com o objetivo de retirar ao seu dono o valor da reforma e do subsídio de férias, que tinha recebido dias antes, explica.

Segundo a PGDL, os dois homens, ao encontrem o dono na casa, agrediram a vítima com socos e pontapés, provocando-lhe lesões que foram a causa direta da sua morte.

Os dois detidos retiraram à vítima o telemóvel e o cartão multibanco, com o qual tentaram efetuar levantamentos, mas não conseguindo por não terem na sua posse o PIN correto.

A investigação continua sob a direção do Departamento de Investigação e Ação penal (DIAP) de Lisboa, com a coadjuvação da Polícia Judiciária.