A GNR de Viana do Castelo revelou esta quinta-feira à Lusa estar a investigar furtos registados na madrugada de terça-feira em 55 viaturas estacionadas nas garagens de três prédios em Valença, mas escusou-se a fornecer detalhes sobre o sucedido.

Também em declarações à agência Lusa, Paula Cunha, moradora num dos três edifícios, adiantou que este é o segundo caso em cerca de quatro anos, "nos mesmos moldes", sendo que, "só mudou um dos prédios", situados em plena zona urbana de Valença.

Das 55 viaturas assaltadas, 20 estavam estacionadas na garagem do prédio onde reside Paula Cunha.

"Na primeira vez também foi assim, na mesma noite assaltaram em série, e em três prédios diferentes. Desta vez só mudou um dos prédios, mas são todos próximos uns dos outros", disse.


"No meu prédio não sabemos como entraram na garagem porque não há sinais de arrombamento, e o portão não apresenta nenhum dano", afirmou.

Segundo Paula Cunha o modo de atuação do assalto ocorrido esta semana "foi igual" ao anterior, sendo que desta vez também "a maioria dos carros assaltados são bons, e de alta cilindrada".

"Tiveram especial cuidado em assaltar os carros de marca BMW", afirmou, adiantado tratar-se de "grandes especialistas, que trabalham muito bem".

"Devem ter grandes conhecimentos de como se abrem carros sem partir os vidros, porque, tal como da outra vez, ninguém se apercebeu de nada", explicou, manifestando "e estranheza e grande preocupação" com este novo caso.


Paula Cunha afirmou que o assalto deverá ter ocorrido "entre as 02:00 e as 05:00” da madrugada de terça-feira, embora só fosse alertada para o sucedido pela 07:00 por um vizinho.

"Só pode ter sido nesse período de tempo porque uma vizinha chegou a casa cerca das 02:00 e quando estacionou a viatura não se aperceber de nada. Outra vizinha, que trabalha numa fábrica saiu às 05:30 da manhã e não encontrou ninguém na garagem", disse.

A residir há seis anos naquele prédio, Paula Cunha adiantou que "os prejuízos são avultados", entre "vidros partidos, carteiras e outros objetos furtados do interior dos carros", destacando o caso de uma vizinha: "No carro da minha vizinha cortaram os fios do alarme e tentaram fazer ligação direta. Não conseguiram mas levaram vários botões do painel, como o do ar condicionado, entre outros equipamentos".