A Polícia Judiciária deteve um homem suspeito de ter assaltado 10 bancos. É um caso insólito, já que o individuo cumpre pena na cadeia de Vale de Judeus, em Alcoentre. Preso há mais de 20 anos, este recluso aproveitava as saídas precárias para realizar os assaltos, na zona de Lisboa.
 
Com a pena a chegar ao fim e perante provas bom comportamento, a direção-geral dos Serviços Prisionais autorizou saídas precárias. O objetivo era a reintegração gradual do recluso na vida em sociedade. Mas os dias de liberdade deste homem serviram afinal para a continuação da atividade criminosa. Desde janeiro de 2014, o suspeito assaltou dez dependências bancárias.
 
Detida foi também a namorada do recluso. A mulher de 35 anos é suspeita de participar nos crimes, preparando os assaltos e conduzindo o carro que usavam na fuga.
 
Em cinco saídas precárias, o casal somou dez assaltos na zona da Grande Lisboa. De acordo com o «Correio da Manhã», nove assaltos foram concretizados, um não foi além da tentativa.
 
Foram ataques feitos à mão armada e que renderam 20 mil euros. O homem entrava nos bancos de arma na mão, a boca e o nariz tapados com um lenço. Crimes que o deixam outra vez a contas com a justiça.