O Ascensor da Nazaré, que liga a praia ao Sítio, vai ficar parado por tempo indeterminado devido à queda de pedras da arriba, que poderia colocar em risco a segurança dos passageiros, divulgaram hoje os Serviços Municipalizados.

“A queda de pedras da arriba sobranceira ao túnel” determinou a paragem do Ascensor da Nazaré “como medida preventiva”, informou o conselho de administração dos Serviços Municipalizados (SMAS) da Nazaré, entidade gestora daquele meio de transporte do distrito de Leiria.

Em comunicado, os SMAS explicaram ter sido confrontados com a queda de inertes no dia 24 de abril, os quais só não alcançaram a linha por terem “ficado retidos numa rede metálica de sustentação de pedras” colocada pelos serviços em novembro de 2016.

A análise técnica efetuada pelos serviços identificou, no entanto, “uma situação de risco que colocava em causa a segurança de pessoas e bens” e que determinou a paragem do ascensor a partir do dia 25, “até que o risco seja suprimido”.

No comunicado, os SMAS esclarecem ainda que “pelo menos desde 2013” o município da Nazaré tem efetuado esforços no sentido de, conjuntamente com a Agência Portuguesa do Ambiente (APA), “desenvolver soluções de supressão de risco de queda de inertes nesta zona em particular, assim como em toda a área do promontório do Sítio da Nazaré”.

Admitindo a possibilidade de desenvolver um projeto de consolidação de arribas, a APA solicitou aos SMAS “um estudo geológico que sustentaria a estruturação de uma solução a ser projetada”.

O estudo, adjudicado pelos SMAS ao Departamento de Geotecnia do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC), “foi encaminhado para a APA no dia 28 de julho de 2016”, divulgou hoje o conselho de administração.

Perto de dois anos depois, continua por realizar qualquer intervenção na arriba sobranceira ao túnel do elevador, sobre a qual a autarquia não tem jurisdição, mas, adiantou a administração, os SMAS estão “fortemente empenhados em colaborar e participar na resolução desta situação” para que a solução “seja encontrada e executada no menos espaço de tempo possível”.

Inaugurado em 28 de julho de 1889, o ascensor da Nazaré liga a praia ao Sítio, numa extensão de 318 metros, com uma inclinação de 42%.

As primeiras carruagens eram movidas por meio de uma máquina a vapor, que esteve em funcionamento até 1963, data do único acidente da história do elevador.

Encerrado após o desastre, durante cinco anos, voltou à atividade com novos carros e um novo sistema de tração, de transmissão e acionamento elétrico, provido de um triplo sistema de travagem.

Em 2001 foi beneficiado com substituição das anteriores por novas carruagens, mais modernas e seguras.

O elevador, gerido pelos SMAS, é anualmente alvo de uma paragem para manutenção dos equipamentos, tendo nos últimos anos sido efetuadas obras na linha e na modernização dos cais de embarque de passageiros.

Considerado um atrativo turístico ascensor transportou em 2017 946.566 pessoas, quase mais 60 mil que os 897 mil passageiros registados em 2016.

Durante o período de paragem o transporte alternativo será feito por autocarro, com paragens no Sítio (Largo de N. Senhora da Nazaré) e na Praça Vasco da Gama, aos 15 e 45 minutos de cada hora. Na Nazaré a paragem será na Praça Dr. Manuel de Arriaga, à hora certa e meias horas, divulgou a Câmara.