Desta vez o foco da inspeção da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) foi os centros de classificação e embalamento de ovos. No final:  94.440 ovos apreendidos, no valor de 6.228 euros,

Em comunicado a ASAE diz que realizou, a nível nacional, "uma operação de fiscalização direcionada a centros de classificação e embalamento de ovos, pelas Brigadas Especializadas das Industrias de Produtos de Origem Animal, no âmbito da fiscalização de segurança alimentar e económica."

Acrescentando que "como resultado da ação foram fiscalizados 25 centros (...) foram instaurados sete processos de contraordenação tendo sido apreendidos 94.440 ovos, no valor de 6.228 euros, por falta de marcação em ovos, por omissão e incorreção nos mesmos de indicações obrigatórias e por falta de rastreabilidade."

De acordo com a legislação em vigor, os consumidores, através de um código impresso nas embalagens e nos ovos, ficam a saber qual o país de origem do produto, em que condições foram criadas as galinhas e qual a zona de exploração de onde os ovos são originários. "Nesta ação foi dada especial atenção aos registos de rastreabilidade, por forma a averiguar, nos registos dos classificadores, por cada remessa/lote, a data de postura e respetiva data de durabilidade atribuída", disse ainda a ASAE em comunicado.