A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) deteve 16 pessoas, “em flagrante delito”, entretanto já condenadas em tribunal, e instaurou 17 processos-crime por “especulação de bilhetes” para concertos, numa operação de fiscalização, que decorre desde dezembro de 2015.


“Como resultado destas ações que visaram essencialmente espetáculos de música pop e rock, que têm tido muita procura nas últimas semanas, e que se encontram com lotação esgotada, foram efetuadas 16 detenções, em flagrante delito, tendo sido instaurados 17 processos-crime por especulação de bilhetes”, refere um comunicado da ASAE, divulgado esta sexta-feira, relativo à “Operação Concerto On-line”.


De acordo com a ASAE, a operação incidiu sobre a especulação de bilhetes, “cuja oferta se encontra a ser divulgada através de 'sites' na Internet”.

“Foram apreendidos cerca de 42 bilhetes, com valores unitários faciais que variam entre os 45 € [euros] e 85 € [euros] encontrando-se a ser transacionados com valores que oscilam entre os 95 € e 500 € [euros], sendo que apenas um dos detidos possuía 13 bilhetes, tendo efetuado um investimento de 1100 € [euros]”, precisou a autoridade.

Os arguidos foram já levados a tribunal, tendo sido condenados a “trabalho comunitário, num período compreendido entre 45 a 60 dias, e suspensões provisórias de processo, mediante injunções pecuniárias, com entrega de valores a Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS), que variam entre os 200 euros e 700 euros”.

A ASAE acrescentou que decorrem ainda no Ministério Público quatro processos de inquérito crime, também relativos a “ofertas especulativas de bilhetes” na Internet.