A primeira exposição individual de Vhils, nome artístico de Alexandre Farto, em Lisboa, é inaugurada esta sexta-feira na Fundação EDP - Museu da Electricidade. «Dissecação» é, segundo o artista que escreveu na sua página de Facebook, o seu «projeto mais ambicioso».

Depois de ter desenvolvido projetos em várias cidades internacionais como Xangai, Nova Iorque ou Rio de Janeiro, aquele que é provavelmente o artista de rua português mais reconhecido, escolheu Lisboa como palco da sua maior exposição individual.

«Dissecação» apresenta vídeos com alguns dos projetos de Alexandre Farto pelo mundo e novas obras que pretendem questionar a cidade e a sociedade.

Ao longo da preparação da mostra, Vhils divulgou imagens e vídeos que mostraram o processo de criação do artista, num site criado para o efeito.

Alexandre Farto, que nasceu em Lisboa e cresceu no Seixal, começou a pintar paredes como «grafitter» com apenas 13 anos. No entanto, foi a esculpir rostos nas paredes através da remoção dos materiais de construção das mesmas que criou uma linguagem visual única e se tornou conhecido a nível mundial.

A exposição que foi inaugurada sexta-feira, abre ao público este sábado, 5 de Julho, e estará patente até dia 5 de Outubro. A entrada é gratuita.