A casa de Paris, onde José Sócrates viveu durante algum tempo, e que alegadamente foi comprada por Carlos Santos Silva, o empresário amigo de José Sócrates, também foi arrestada.

De acordo com o jornal Observador a casa localizada no 16º bairro de Paris foi mandada arrastar pelo juiz Carlos Alexandre.

Segundo o Ministério Público a casa, formalmente adquirida por quase três milhões de euros, pertence efetivamente ao ex-primeiro-ministro. Alegação que é desmentida por José Sócrates.

Recorde-se que este fim de semana foi avançado pelo semanário Expresso que três casas, em nome de Carlos Santos Silva, tinham sido arrestadas por ordem judicial. Uma informação que acabou por ser confirmada pelo própria Procuradoria-Geral da República.

O ex-primeiro-ministro reagiu em conferência de imprensa, afirmando que o arresto de bens de que foi alvo no âmbito da Operação Marquês "não têm nenhum fundamento nem justificação".

O Tribunal Central de Instrução Criminal ordenou o arresto dos imóveis por o Ministério Público considerar que os mesmos pertencerem à esfera patrimonial de José Sócrates. As autoridades defendem que as transações destes imóveis não passaram de esquemas de branqueamento de capitais.