Norman Foster descreve Álvaro Siza Vieira como um «arquitecto com uma sensibilidade de poeta». O arquitecto britânico saúda assim a entrega da Medalha de Ouro Real ao arquitecto português, esta quinta-feira, pela Rainha Isabel II, pelo reconhecimento do seu trabalho.

Do que conta a Lusa, Siza Vieira recebeu a medalha de ouro das mãos da monarca britânica, numa recepção privada no Palácio de Buckingham, em Londres. A distinção será de novo entregue numa cerimónia formal na ordem dos arquitectos britânicos, o Royal Institute of British Architects (Riba), esta quinta-feira à noite.

Num comentário à Agência Lusa, o arquitecto Norman Foster elogiou o trabalho de Siza, manifestando «satisfação pessoal» pela homenagem. «A sua arquitectura tem o poder de nos emocionar profundamente», refere.

«Graças à grande economia de linhas nos seus projectos e o domínio subtil da forma, o seu trabalho tem a capacidade de nos animar», elogia o autor do Swiss Re, em Londres, e da restauração do parlamento alemão (Reichstag), em Berlim.

Os dois arquitectos conheceram-se há alguns anos e Foster, que é lorde e tem o título honorífico de Barão Foster of Thames Bank, escreveu o prefácio para um livro de Siza Vieira.

Outro arquitecto britânico, Pierre dAvoine, disse à Lusa ser uma injustiça Siza Vieira não ter sido homenageado mais cedo com este prémio, criado em 1848.

«Siza é um grande arquitecto e uma inspiração para pelo menos duas gerações de arquitectos no Reino Unido», garante.