O secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos, garantiu, esta quinta-feira, que ainda não recebeu qualquer parecer negativo à manifestação convocada para o próximo dia 19 na ponte 25 de Abril, adiantando que o que sabe é pela comunicação social.

«Continuamos sem receber os pareceres ditos negativos, quer do Conselho de Segurança da Ponte, quer do Observatório. Estamos à espera», afirmou, em declarações à agência Lusa.

«É uma coisa estranha: eles falam daquilo [dos pareceres sobre problemas de segurança], mas não informam a entidade que convocou a manifestação sobre o que consta desses documentos», referiu.

O Sistema de Segurança Interna (SSI) deu um parecer técnico desfavorável à realização da marcha de protesto da CGTP que inclui a travessia da ponte 25 de Abril, invocando diversos problemas de segurança.

Segundo adiantou na quarta-feira o ministro da Administração Interna, a manifestação contou com dois pareceres contrários, que, sublinhou, «não podem ser ignorados», uma vez que alertam para «situações que podem constituir problemas sérios de segurança».

Miguel Macedo apelou ainda ao bom senso e pediu «responsabilidade e sensatez» face aos pareceres do Sistema de Segurança Interna e da PSP e disse que ambos já tinham sido comunicados à CGTP e às câmaras municipais de Lisboa e de Almada.

«Devem tê-los entregado a alguém, mas não foi a nós», garantiu Arménio Carlos, assegurando que o que a central sindical sabe é «pela comunicação social», sendo «também pela comunicação social que responde e diz que tem alternativas».

Confrontado com as declarações do ministro da Administração Interna, Arménio Carlos disse na quarta-feira que o problema é político e não técnico e garantiu que «a CGTP já demonstrou que as questões técnicas podem ser perfeitamente ultrapassadas».