Um incêndio deflagrou esta quarta-feira num terreno descampado na Charneca do Lumiar, em Lisboa, nas imediações do aeroporto, e atingiu um armazém com produtos inflamáveis na avenida Santos e Castro, disse à Lusa fonte da PSP.

Segundo o comandante dos Sapadores Bombeiros de Lisboa, o fogo foi dominado, às 15:30, embora o rescaldo ainda vá demorar várias horas.

Pedro Patrício adiantou aos jornalistas que "já não há razões para preocupações". "Os carros que estão a chegar são veículos tanque para garantir o abastecimento de água. No local não há marcos de água”.

Os bombeiros vão, no entanto, manter-se no local, para fazer o rescaldo do incêndio, e o fumo continuará a ser visível durante muitas horas, "já que há material que terá de se consumir por si próprio", explicou.

“Estes trabalhos vão prolongar-se ao longo da noite porque vamos ter de desmanchar todo o material que ainda está quente e com alguma incandescência"


O mesmo responsável garantiu também que, apesar da proximidade, o incêndio, cujo alerta foi dado cerca das 13:15, não causou transtornos no aeroporto da Portela.

O alerta para a ocorrência sido dado às 13:13, e a Lusa constatou no local que a avenida Santos e Castro esteve cortada ao trânsito, no âmbito do perímetro de segurança instalado.

Várias dezenas de populares acompanham, ainda, as operações, a cerca de 300 metros.

No local, os Sapadores tiveram 11 viaturas de combate e seis viaturas de apoio e comando e uma ambulância.

Também a ANA - Aeroportos de Portugal - referiu à Lusa que as operações aéreas não foram afetadas.

Vários leitores estão a partilhar fotos e vídeos do fumo, negro e denso, que ainda é visível de vários locais da capital.