Trinta pessoas foram detidas na sequência de uma operação nacional de controlo e fiscalização de armas e explosivos realizada na sexta-feira, anunciou hoje a Polícia de Segurança Pública (PSP).

Em comunicado, a PSP indica que durante a operação foram detidas 30 pessoas e foram apreendidas 60 armas de diferentes classes.

A operação decorreu em todo o país, tendo sido fiscalizadas 30 pedreiras, 38 armeiros, 19 empresas de pirotecnias, cinco áreas de caça, um campo e carreiras de tiro, dez locais de emprego de explosivos.

Durante a operação policial, foram levantados 25 autos de detenção, 67 de contraordenação e três identificações de processo-crime.

Entre as 60 armas e explosivos apreendidos, destacam-se as armas usadas por forças de segurança, armas de uso pessoal, armas de fogo (espingardas, pistolas, revólveres e pistolas de alarme), armas brancas e reproduções.

Na operação estiveram envolvidos mais de 700 operacionais da PSP, entre os quais elementos das Brigadas de Armas e Explosivos dos Comandos distritais, metropolitanos e regionais na dependência do departamento de Armas e Explosivos da Direção Nacional.

A intervenção policial teve por objetivo aumentar o controlo efetivo sobre o uso e armazenamento de produtos explosivos e fiscalizar a comercialização de armas de fogo, nomeadamente a venda de reprodução de armas que representam uma importante vertente do negócio.